Quem Somos

A CBPM – Caixa Beneficente da Polícia Militar, instituída pela Lei nº 452, de 02 de outubro de 1974, que criou o regime de assistência médico-hospitalar e odontológica (AMHO), firmou convênio com a Cruz Azul de São Paulo (CRAZ), ficando esta responsável pelo atendimento exclusivo aos beneficiários (dependentes).

Toda estrutura de atendimento da Cruz Azul está sediada em São Paulo e o atendimento aos beneficiários (dependentes) dos Policiais Militares e Pensionistas do Interior do Estado eram supridos pelos convênios e contratos firmados diretamente pela CRAZ com empresas de assistência médica, hospitais ou profissionais que atendiam regionalmente.

Em meados de 1990, devido a alta da inflação e da política salarial da corporação, o sistema enfrentou grave crise financeira provocando o cancelamento de contratos e convênios, ficando todos os beneficiários de Policiais Militares e Pensionistas do Interior do Estado, sem AMHO.

Restava o deslocamento para a capital em busca de atendimento no hospital da Cruz Azul o que se tornou um transtorno em face do estado de saúde dos pacientes, falta de meios de transportes e outras dificuldades. Houve a tentativa de instalação de Policlínicas nos Comandos de Policiamento de Área e Batalhões, porém não prosperaram.

Em meados de 1.993, verificou-se que não teria como resolver o problema dos dependentes dos Policiais Militares e Pensionistas residentes no Interior, sem injeção de mais recursos financeiros no sistema.

Foi sugerido pela Superintendência da CRAZ a criação das APAS, através de convênio médico em grupo, a fim de atender não só os dependentes como também os Policiais Militares e Pensionistas.

A partir de então, foram criadas 34 APAS no Interior do Estado com grande adesão dos Policiais Militares e Pensionistas como sócio-contribuinte, o que proporcionou a injeção de recursos financeiros no sistema de saúde, garantindo sua operacionalização. Foi a forma encontrada para constituir o capital de giro necessário para sustentar o pagamento aos prestadores de serviço.

As Associações Policiais de Assistência à Saúde são Associações Civis de direito privado, sem fins lucrativos, cuja finalidade é prestar Assistência à Saúde aos Policiais Militares, Pensionistas e Dependentes.

A data oficial da fundação da APAS São Carlos é de 25 de julho de 1.994, nossa APAS iniciou atendimento em uma das salas do 38º BPM/I. Posteriormente, foi locada uma humilde casa na Rua Santa Cruz, ao lado do Batalhão. Pouco tempo depois foi adquirido um imóvel na Rua Dom Pedro II nº 463 – Centro, onde ficou até a aquisição do imóvel que atualmente está sediada à Rua Bento Carlos, 757 – Centro – São Carlos.

 

Dúvidas frequentes

Quem tem direito a entrar no plano ?
Titular -Policiais Militares e pensionistas; Dependentes -Cônjuge ou companheira(o) que comprovem união estável como entidade familiar conforme lei Civil; -Filhos(as) solteiros naturais ou adotivos até 28 anos; -Filhos(as) solteiros inválidos; -Enteado ou menor sob guarda por força de Decisão Judicial ou menor tutelado. OBS: Policial não tem direito
Quais Planos existem ?
Trabalhos com dois planos de saúde, o 2470 e o 7565, ambos com coparticipação e pela Unimed.
Quais as carências ?
24 Horas - Atendimento de Urgência e Emergência; 30 dias - Consultas e exames complementares; 90 dias - Fisioterapias; 120 dias - Atos e cirurgias ambulatoriais; 180 dias - Exames e procedimentos especiais; 300 dias - Internações Obstétricas (parto normal ou cesária); 720 dias - Doenças pré-existentes (regra estabelecida pela ANS através da REI 195/2009.

Saúde é a coisa mais importante que você tem na vida!

Faça parte da APAS